terça-feira, 30 de novembro de 2010

Vampire Academy - Last Sacrifice

Falando em meus vícios vampíricos...
Aeeeê! Nem acredito que dezembro está chegando! Previsto para 7 de dezembro o lançamento do último livro da série Vampire Academy nos EUA.
Ai, ai, ai.... O que será que vai acontecer com Dimitri e com a Rose? Tá certo que no último livro ele me irritou muito, e o Adrian estava super fofo, mesmo assim eu sou team Dimitri forever!
Contando os dias... E o vício é tanto que vou dar um jeito de ler em inglês mesmo!



Primeiro 4 capítulos: http://www.scribd.com/doc/44250184/Mas-ah#


O livro anterior eu li traduzido por aqui: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=25399156

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Filme: Juntos pelo Acaso


Sinopse
Holly Berenson (Katherine Heigl) e Eric Messer (Josh Duhamel) se conhecem, mas o primeiro encontro deles é um verdadeiro desastre. A única coisa que eles têm em comum é a paixão pela afilhada Sophie (Alexis Clagett/Brynn Clagett). Só que um acidente fatal deixou a menina órfã dos pais e a dupla foi designada para cuidar da pequenina. Obrigados a permanecerem juntos para cuidar dela, eles enfrentam as dificuldades típicas de quem passa a ser pai e mãe de uma hora para outra e começam a se entender melhor.
*

Elenco:
Josh Duhamel (Eric Messer)
Christina Hendricks (Alison Novack)
Jean Smart (Helen Berenson)
Melissa McCarthy (DeeDee)
Hayes MacArthur (Peter)
Majandra Delfino (Jenna)
Faizon Love (Walter)
Jessica St. Clair (Beth)
Reggie Lee (Alan Burke)
Andrew Daly (Scott)
Rob Huebel (Ted)
Andy Buckley (George Dunne)
Alexis Clagett / Brynn Clagett (Sophie)
*
Eu simplesmente amei esse filme!
Olha, não sei se sou só eu que acho isso, mas ultimamente tenho visto tantas comédias românticas ruins! E eu não sou muito exigente, gosto de filmes leves, bem água com açucar mesmo, mas não exijo uma trama muito original, ou rebuscada. Filmes simples, porém fofos e com direitos a alguns supiros e risadas, para mim são a receita ideal.
*
Como tenho visto muito filmes ruins, eu tomei uma decisão: procuro filmes em que eu ache o mocinho bonito. Porque pelo menos a sessão colírio está garantida e eu não saio perdendo tanto... E o Josh Duhamel... ai, ai, ai! Ele gato demais!!!
*
Li algumas críticas que quase me fizeram dedistir de ver o filme, mas como eu tinha achado o trailer muito fofo, eu resolvi arriscar e ainda levei o dito cujo (vulgo marido) no cinema junto! ! ele também gostou! As críticas diziam coisas do tipo: "filme previsível, desde o início a gente já sabe o final e blá, blá, blá..." Aquela lenga-lenga de sempre, já que os críticos nunca gostam dos mesmos filmes que eu. Mas.... é lógico que o filme é previsível, né? É lógico que o casal que no início se odeia, e briga como gato e rato, vai acabar se apaixonando, e que se não for assim, eu não vou gostar. E antes eles se metem em cada momento hilário!
*
Ah, eu amei o filme, e não vejo a hora de sair em DVD para revê-lo! O casal é fofo e tem química. Mas o melhor do filme é a nenê! Que coisa mais querida!!! E pode ser por isso que eu amei tanto, estou numa fase de curtir muito nenê, principalmente menininhas (eu sempre quis filhas!) E depois eu descobri que as atrizes eram três bebes, irmãs trigêmeas. Lindas!
*
Eu mais do que recomendo!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

SÃO GÊMEAS!!!

Ah, tenho que vir aqui compartilhar. Fiz meu ultrassom hoje, ou Eco para o pessoal aqui do Sul, e deu 85% de chances de serem duas meninas! Fiquei tão feliz!

Já pensaram que fofas?
Adorei essa foto também, queria comprar roupinhas assim:

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Minha nova paixão - Ian Somerhalder x Dalmon Salvatore

Primeiro eu tenho que confessar uma coisa: sou de Lua, tenho fases.
*
Já tive minha fase Greys Anatomy. Era super viciada, até que enjoei.
*
Já tive minha fase Jane Austen. Li todos os livros dela e até, como não tinha nenhuma versão em português, traduzi Lady Susan. Vi um monte de filmes baseados nas obras dela. E hoje eu não suporto mais nem ouvir falar de Darcy. E ele era o meu preferido...
*
Já tive minha fase escritora. Hoje não sinto mais vontade de escrever.
*
Aliás, eu mulher inconstante, com variações de gostos e de humores, não me perguntem como após quase 10 anos eu não enjoou da minha fase Fred. Sou totalmente apaixonada pelo meu ex-namorado, ex-noivo e atual marido e futuro pai.
*
Mas... Voltando as minhas fases, no momento estou viciada em Diários de Vampiro. Achei que já tinha superado minha fase de vampiro, mas não. Falando em vampiro... Eu amava o Edward dos livros, mas acho o do filme um horror. E eca! Esse ator que pelo jeito só eu acho feioso para mim tinha tirado muito do glamour dos sangues-sugas românticos. Ah... Mas o Damon....! *suspiros!*
*
Quando eu li os primeiros livros (só li os primeiros quatros, porque depois achei-os totalmente viajantes e não gostei, só que a série não tem muito a ver com os livros), eu me apaixonei pelo Stefan. Nos livros era o Stefan que tinha olhos verdes, por exemplo. Não que eu me ligue em cor de olhos, mas quem resiste ao azul lindo do Ian Somerhalder?
*
Então, voltando ao assunto, hoje eu estou totalmente na fase Ian Somerhalder x Damon Salvatore.
*
Pois é, voltei a suspirar por um vampiro! Um vampiro que não tem nada de bonzinho. Que não é vegetariano. Que tem crises de humor e mata gente. Um vampiro sexy, com humor debochado e ironico, e que tem pegada! E ôôôôôô! Bota pegada nisso!
*
Eu sei, muita gente vai dizer que é uma série muito adolescente, mas o que eu posso fazer se eu acho que tem uma parte de mim que ainda é adolescente? Porque tipo assim... Uma das minhas escritoras favoritas é a Meg Cabot! Eu era totalmente fã dos livros crepusculo junto com a criançada. Eu adorei o filme Hanna Montana! E isso só para citar alguns exemplos...
*
Porque eu gosto do Ian Somerhalder:
Ele é amante da natureza e gosta de gatos, e eu também sou big fã dos pequenos felinos. Ele tem três gatos que dormem na cama com ele, e disse que agora todo coberto de pelos. Fofo!
Ele é lindo!
Ele é sexy!
Ele é engajado com causas sociais, tem a fundação Ian Somerhalder para a preservação do meio ambiente.
Ele é sagitariano!
Algo muito engraçado, logo que eu vi o primeiro episódeo de V.D eu disse: "uau! Esse cara só pode ser sagitariano!" Não sei porque, mas tem algo no jeito de ser sagitariano que faz com que eu os reconheça. E dito e feito! Não é que ele nasceu em 8 de dezembro?
Porque eu adoro o Damon Salvatore:
Em primeiro lugar, ele é lindo! Vive fazendo caretas como essa da foto e eu adoro seus trejeitos!

Outra careta. Ele não é gato?

Aliás, não será uma mania sagitariana fazer caretas?

Fala sério, olha essa foto debaixo, ele não é super sexy? Olha essa língua no pescoço na Elena - Nina, e o olho azul (e as vezes verde?) lindo.
E.... Ele tem o maior jeito de cafajeste! Já aviso que na vida real sou muito mais do tipo quietinho comportado, mas que nos romances eu curto um tipo malandrinho! Mas daquele tipo que se apaixona e se regenera.
Ahhhhh! Eu preciso gritar um pouquinho: ELE É MUITOOOO LINDOOOO!

Outras observações de Lady Whistledown - 36 dias dos Namorados - Julia Quinn

Meninas, desculpem a minha ausência, mas confesso que andava totalmente sem saco para blogs, internet e afins. Na verdade, estou saindo agora do primeiro trimestre da minha primeira gravidez, e estou bem mais animadinha (acho que o cansaço passou, pelo menos por enquanto), por isso cá estou de volta!
*
Não vinha mais aqui até por que não tinha nada para escrever. Perdi totalmente a vontade de ler! É sério: eu, uma leitora compulsiva, devoradora de livros, não tinha mais vontade de ler! E ler -isso era inédito para mim! - me dava muitoooo sono! E outra: eu estava achando tudo que eu tentava ler chato e repetitivo. E muitos das coisas que eu tentava ler - em e-book porque não compro mais livro pois não tenho mais espaço na minha casa - eram aquelas traduções péssimas, que me faziam largar os livros ainda no inicío.
*
Mas... ontem me deparei com esse delicioso livrinho da Julia Quinn. Ele é curto, totalmente indicado para pessoas como eu que andam caindo pelos cantos de sono e não aguentam livros grandes. Ahhhh! O que eu posso dizer! Eu amoooo essa escritora! Decididamente ela é a minha escritora de livros de banca preferida! Adoro o humor em suas histórias!
**
Um livrinho curto que garante suspiros e risadas, uma combinação perfeita na minha opinião. E o conde... Ah! Ele é delicioso também! E apaioxonante! Vamos falar sério... de imperfeita já chega a vida e na hora de ler eu não me importo nada de ler um romance com um personagem tão perfeito que chega a ser irreal. Alto, moreno, olhos verdes, querido, bem intensionado, rico e ainda conde!!!
**
Ah, para quem não leu os livrinhos da família Bridgerton dessa mesma autora eu totalmente recomendo. E a Lady Whistledown, por sinal, era uma das personagens dessas histórias.
**
E-book:


http://www.4shared.com/file/143339927/69832b6e/FAMILIA_BRIDGERTON_-_08_-_A_Caminho_do_Casamento__rev_PRT__Julia_Quinn.html

sábado, 11 de setembro de 2010

Curta metragem romântico

Achei muito fofinho esse video, e sei que todas as românticas de plantão também acharão. Como diz no post do you tube de onde eu o salvei:
- Curta metragem mostra, sem falar uma palavra sequer, como é possível expressar o sentimento mais nobre do mundo.
*
Ele é dividido em duas partes. Primeiro mostra a solidão dele e sua pouca motivação para tudo, como para as coisas rotinerias do dia a dia. Depois, quando ele a conhece, dá para se perceber, mesmo que o casal não fale nenhuma só palavra no vídeo, como os dias dele se iluminam. Até tirar um simples xerox, e as reuniões de trabalham, se tornam mais interessantes. É fofo. O vídeo é romantico e engraçado também. Adorei!
*
Agora vou postar aqui no blog as duas partes desse curta metragem.

Parte 1:
video

Part 2:

Tá dando erro no post, então no momento eu vou colocar só o link.
http://www.youtube.com/watch?v=UiCKoP8Ft8E&feature=player_embedded

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Flor de Mel - E se? e A Força de Anita.

Gente, sempre venho aqui dar dica de livros, e agora estou fazendo a mesma coisa, a diferença é que esses fui eu quem escrevi.
Estou disponibilizando duas histórias minhas, as mais curtinhas, em e-book para quem quiser ler.

*
Flor de Mel:
http://www.4shared.com/document/8Cg71vZx/Flor_de_Mel_-_Tnia_Picon.html
*
Sinopse:
Quando a nossa vida desmorona, é inevitável parar para pensar: “E se eu tivesse feito outras escolhas…?” “Eu se eu tivesse agido diferente..?” “E se eu não tivesse sido, por exemplo, tão impulsiva…?” “E se eu não tivesse dito aquilo…?”
Há coisas que realmente não podemos mudar. Porém, em algumas vezes, eis que surgem novas oportunidades. E agora? Você ficaria só no “E se..?” Ou agiria como eu, Melissa Rosa Farias, e tentaria ser diferente dessa vez?
Eu, Mel, logo aviso aos desavisados: “Não acredite sempre nas aparências. Nem tudo é como parece.”
*
Essa foi a última história que eu escrevi. Confesso que pretendia seguir um rumo diferente quando comecei, mas me apaixonei pelo personagem no meio do caminho. Ah, eu adoro o Estevão!
*
*
Esse foi escrito no ano passo e não tem sinopse. É a minha única de época (Brasil anos 60) e eu confesso que adorei pesquisar esse período. A história no finalzinho da um pulo no tempo, e acho que os últimos capítulos são meus preferidos. A Anita é a minha personagem, na minha opinião, mais fofa e meiga. E a Alice, a irmã dela, é uma das minhas personagens mirins preferidas. É uma legítima pestinha! Bom... o Ivan, na minha opinião, é perfeito, mas eu admito que tive uma queda especial pelo Igor. Adoro personagens com conflitos psicológico e meio sofredores.
*
Ela foi postada no ano passado na comunidade do orkut Orgulho e Preconceito fanfics, adaptada para fic, mas já foi apagada.
***
Se alguém ler pode deixar um comentário aqui. Eu vou gostar de saber que leram.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Livro Soul Love - A noite o céu é perfeito - Lynda Waterhouse



Sinopse:
Jenna não quer trair os amigos e não revelará o que se esconde por trás de sua expulsão do colégio, assumindo toda a culpa sozinha. Como castigo sua mãe a levou para passar algum tempo com uma tia numa tediosa cidadezinha do interior. É lá que Jenna encontra Gabe, um rapaz autêntico, melancólico e reservado. Completamente diferente de todas as outras pessoas ela conhece. É inevitável: Jenna se apaixona por ele. Será que Gabe é sua alma gêmea? Ele mostra a Jenna a beleza de um céu noturno sem nuvens, escuro, um contraste perfeito para o brilho das estrelas. E, em meio a livros, música, poesia e noites estreladas, o sentimento entre eles se torna cada vez mais forte.
Mas Cleo, uma garota antipática que tem uma ligação muito estranha com Gabe, não está gostando nada desse romance. Afinal, ela não quer que ninguém mais saiba o grande segredo de Gabe...

**

Lendo essa sinopse, me deu uma impressão totalmente errada do que o livro realmente é. Ele não é apenas um livrinho adolescente. Não! Ele não é uma história bobinha. Ele é muito mais do que isso.

Confesso que me surpreendi com o livro. Eu gosto de romances adolescentes, gosto mesmo, tanto que uma das minhas escritoras preferidas é a Meg Cabot, então não estava esperando nada muito diferente do que costumo ler. Mas não. Esse livro toca numa tema importante, algo que está cada vez mais presente na nossa atualidade, e do preconceito que ainda existe ao redor disso. Não quero falar muito aqui para não perder a graça para quem vai ler. Porque um pouco do gostoso de ler um livro é a expectativa, é não saber o que está por vir, e eu não quero estragar para quem for ler. Só o que eu digo é: adorei. Nunca tinha lido nada assim e achei muito interessante.

Algo para refletir:

Quando ela conta para ele o que a aflige e ele começa a rir e diz: "Esse é o seu problema?" e a cena que vem depois. Isso é para a gente pensar nas coisas que a gente considera problemas. Será que eles são tão grandes assim?

**

Prólogo
Noite quente de verão. Para ser exata, estamos no primeiro sábado do mês de agosto. As estrelas nunca brilharam tanto. Estou sentada na janela do meu quarto, admirando esse espetáculo deslumbrante e pensando nas coisas que me aconteceram naquele verão. Eu era outra Jenna Hudson.
A lembrança dói. Meu cérebro tenta descobrir onde fica exatamente a dor, mas logo desiste, porque tudo dói.
Estou cansada de viver como se já fosse uma pessoa adulta e madura. Gostaria de voltar a ser criança – uma garotinha de seis anos que caiu da bicicleta. Gostaria de fazer cara de choro e correr aos berros para a cozinha, onde minha mãe me ergueria do chão, me daria um forte abraço e beijaria meu joelho esfolado. Eu pararia de chorar e tomaria leite com chocolate para a dor passar.
Essa é uma das coisas que as pessoas não nos ensinam quando falam de crescer: como lidar com as dores que não passam com um beijo.

***

Vou dar cinco estrelinhas para esse livro e colocá-lo entre os meus preferidos.

**

E-book: http://www.4shared.com/get/s03m-Wdp/Lynda_Waterhouse_Soul_Love_-__.html

Hannah Montana - O filme


Confesso que depois de ter visto o filme A Última Música achei a Miley Cyrus tão fofinha que eu fiquei curiosa sobre a carreira dela. E então a minha sobrinha de 8 anos me disse que adora a Hanna Montana e eu resolvi ver o filme.
*
Ah, mesmo não conhecendo quase nada da série, eu pude acompanhar bem a história.
*
Acho que é o tipo de filme que pode ser visto por qualquer idade, ele não é bobinho como parece ser, e tem uma mensagem bonita. Eu, pelo menos, adorei.
*
E as músicas! Como a voz dela é linda! Duas músicas do filme não saem da minha cabeça, uma em que ela cantou e dançou como a Miley quando ninguém sabia que ela era a Hanna, e a do final do filme que eu estou postando aqui. A música é linda, e a mensagem dela é maravilhosa. Não me canso de ouvir e a letra serve para mim, e acredito que deve servir para todo mundo, como uma luva.
*Filme fofo e gostosinho. Eu recomendo!

video

The Climb
I can almost see it
That dream I'm dreaming, but
There's a voice inside my head saying
You'll never reach it

Every step I'm taking
Every move I make, feels
Lost, with no direction

My faith is shaking
But I, I gotta keep trying
Gotta keep my head held high

There's always gonna be another mountain
I'm always gonna wanna make it move
Always gonna be an uphill battle
Sometimes I'm gonna have to lose

Ain't about how fast I get there
Ain't about what's waiting
On the other side
It's the climb

The struggles I'm facing
The chances I'm taking
Sometimes might knock me down, but
No I'm not breaking
I may not know it

But these are the moments thatI'm gonna remember most, yeah
Just gotta keep going
And I, I gotta be strong
Just keep pushing on

There's always gonna be another mountain
I'm always gonna wanna make it move
Always gonna be an uphill battle
Sometimes I'm gonna have to lose

Ain't about how fast I get there
Ain't about what's waiting on the other side
It's the climb [x2]

Keep on moving, keep climbing
Keep the faith, baby

It's all about
It's all about the climb

Keep the faith
Keep your faith

A Subida
Eu posso quase ver
Esse sonho que estou sonhando.
Mas tem uma voz dentro da minha cabeça dizendo
Você nunca irá alcançá-lo

Cada passo que eu estou dando
Cada movimento que eu faço
Parece perdido sem direção
Minha fé está abalada
Porém eu tenho que continuar tentando
Tenho que manter minha cabeça erguida

[REFRÃO]
Sempre haverá uma outra montanha
E eu sempre irei querer movê-la
Sempre será uma batalha difícil
Às vezes eu terei que perder
Não se trata do quão rápido eu chegarei lá,
Não se trata do que está me esperando do outro lado
É a subida

As lutas que estou enfrentando
As oportunidades que estou tendo
As vezes podem me derrubar
Mas não, eu não estou caindo
Eu posso não saber disto
Mas são esses os momentos dos quais eu mais irei me lembrar yeah
Só tenho que continuar
E eu
Tenho que ser forte.
Continuar prosseguindo
Porque

[REFRÃO]
Sempre haverá uma outra montanha
E eu sempre irei querer movê-la
Sempre será uma batalha difícil
Às vezes eu terei que perder
Não se trata do quão rápido eu chegarei lá
Não se trata do que está me esperando do outro lado
É a subida

[REFRÃO]
Sempre haverá uma outra montanha
E eu sempre irei querer movê-la
Sempre será uma batalha difícil
Às vezes você terá que perder
Não se trata do quão rápido eu chegarei lá,
Não se trata do que está me esperando do outro lado
É a subida

Continue em movimento
Continue escalando
Mantenha a fé
Baby
Tudo se trata
Tudo se trata da subida
Mantenha a fé
Mantenha a sua fé
Woah-oh-oh-oh

A ultima música - Nicholas Sparks - Livro e Filme






Bom, nesse caso eu fiz o contrário do que fiz em Querido John, vi primeiro o filme e depois li o livro, e acho que foi a melhor coisa que eu poderia ter feito. Amei o filme e amei o livro também. E dessa vez as diferenças entre as duas histórias não me incomodaram.
Preparem os lencinhos! Mesmo eu que não sou das mais choronas não me contive! A história é tão linda e emocionante!
Li algumas discusões por ai, sobre o qual achavam melhor, se Querido John ou A última música, e vi que que a coisa estava meio dividida. Na minha opinião a Ultima Música é melhor. O final de Querido John me deixou frustrada enquanto que em A ultima Música, mais o livro do que o filme, o final me deixou com uma sensação boa de final feliz.
Não se enganem: apesar dos atores serem novinhos, esse não é apenas um filme adolescente! Ou um livro. É uma história linda que fala de família, amores, perdas e perdão.
Amei os dois e recomendo. Mas acredito que seja melhor ver primeiro o filme e depois ler o livro como eu fiz.
Comprei ambos os livros (Querido John e a Ultima Música), e fica aqui um protesto: gostaria de ler também o Diário de uma paixão e o livro em que se baseia o filme Um amor para recordar, também do Nicholas Sparks. Só que não acho em lugar nenhum!

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Querido John - Filme e livro


Bom, eu primeiro li o livro, e depois vi o filme. Não sei se fosse na ordem contrária, eu pudesse ter uma impressão diferente. Porque depois de ter lido o livro, não gostei do filme. E sei que geralmente os livros costumam ser bem melhores que suas adaptações.
*
Sim, adaptação, porque houveram várias mudanças. Tipo, algumas mudanças mais insignificantes, como:
- No livro a Savannah é morena, no filme loira.
- O Tim é mais novo no livro, tem a idade da Savannah. No filme é mais velho e eu juro que na minha imagem mental ele era bem mais bonito do que seu interprete.
- O Adam no livro é irmão do Tim, no filme é filho.
*
E outras mudanças mais importantes que eu não relatarei aqui, porque perderia um pouco a graça para quem ainda não conhece a história.
*
Só o que eu digo: a alteração do final da história no filme me irritou muito. Para mim isso tirou grande parte da beleza do gesto do John e também me deixou a impressão que a Savannah é volúvel.
*
Prefiro MIL vezes o livro.
*
Agora, na história A Ultima Musica, também baseada na obra de Nicholas Sparks, farei o contrário. Primeiro verei o filme (coisa que eu já fiz, e amei) e depois lerei o livro (o que eu confesso que já comecei, mas estou empacatada com medo da parte triste que eu sei que está para vir). E assim que eu terminar de ler, venho aqui para contar minhas impressões.
*
Pergunta que eu deixo: será que é melhor ver o filme antes de ler o livro, ou ler o livro antes de ver o filme?

Dica de leitura - Sempre - Lynsay Sands


Filha ilegítima do rei, Rosamunde foi criada em um convento e foi totalmente preparada para assumir o véu... até que o Rei Henry aparece com um marido relutante para ela. De repente, ela se encontra prometendo amar, honrar e obedecer a Aric... para sempre.

Uma quase freira com uma educação sexual muito peculiar... Educação.
Rosamunde não inclui uma noite de núpcias, e o que os animais fazem nos estábulos é a única referência sexual desta donzela sem experiência. Oh Deus... Aric vai morder seu pescoço como os animais ao emparelhar-se?

Noite de núpcias de breves minutos e com testemunhas.
Aric é um guerreiro, viril e capaz de expressar uma paixão animal, mas tem que consumar um casamento em poucos minutos e com testemunhas apressando-o, o que se torna uma missão quase impossível.

Amar, sim. Honrar, sim. Obedecer?
Rosamunde logo descobre que, enquanto pode ter dificuldade em obedecer as ordens e pedidos extravagantes do marido, não será difícil amá-lo para sempre.

Um Compromisso para sempre... Amor para sempre... Honra para sempre... E... Sempre obedecer?


Uma deliciosa comédia romântica com aventuras, intrigas, humor e paixão.
Uma novela encantadora com o selo inconfundível de Lynsay Sands.
***
Bom, esse foi o segundo livro que eu li dessa autora, o primeiro foi Perseguição, que é o último de uma trilogia. Eu ri bastante com ambos, mas muito mais com esse. Gente! Minha barriga chegou a doer de tanto que eu ri!
*
Primeiro, eu já tinha lido que a noite de nupcias é muito engraçada. Sim, ela é hilária mesmo e muito criativa porque eu, pelo menos, nunca tinha lido nada parecido. Aliás, amei a criatividade dessa escritora. Mas, para mim, a cena mais engraçada é lá do meio para o final, as coisas que a Rosamunde faz com o Negro, cavalo dele. - kkkkkk. Tô rindo só de lembrar.
*
Ah, a Rosamunde é fofa, e ela adora animais, como eu. Acho que foi por isso que eu me identifiquei bastante com ela.
*
Essa história vale muito a pena por causa das risadas que certamente virão.
*
Confesso que depois desse comecei a ler vários livros dessa autora, mas nenhum me fez rir como esse.
*
Eu adorei e recomendo.
*
E-book: http://www.4shared.com/file/169154517/9d03558c/Lynsay_Sands_-_Sempre__Tiamat-.html

Fala sério, que homem mais lindooooo!




Gente, será que sou só eu que babo por ele???





quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Dica de filme - A última música


CURIOSIDADES
- Baseado em livro do escritor Nicholas Sparks, de Querido John e Um Amor para Recordar .

- Estreante em longa-metragem, Julie Anne Robinson dirigiu episódios de séries de TV, como Grey's Anatomy, Weeds, Holby City, entre outras.

FICHA TÉCNICA
Diretor: Julie Anne Robinson
Elenco: Miley Cyrus, Bobby Coleman, Liam Hemsworth, Hallock Beals, Nick Lashaway, Carly Chaikin, Nick Searcy, Kate Vernon, com Kelly Preston, Greg Kinnear.
Produção: Adam Shankman, Jennifer Gibgot
Roteiro: Nicholas Sparks, Jeff Van Wie
Fotografia: John Lindley
Trilha Sonora: Aaron Zigman
Duração: 107 min.
Ano: 2010
País: EUA
Gênero: Drama
Cor: Colorido
Distribuidora: Buena Vista
Estúdio: Touchstone Pictures
Classificação: 10 anos
**
Ontem me aventurei, como eu morro de medo por causa do vírus, a baixar um filme. Acreditei que o link era seguro, como de fato era, porque foi postado numa comunidade do orkut que parece confiavel. Comunidade: Filmes Download - http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=4891
*
Bom, é claro que como principiante em downloads de filmes, eu não podia ter muita sorte, pois baixei um filme dublado. E eu particularmente não gosto de filmes dublados, mas agora eu vi que nessa comunidade também tem a versão com legendas.
*
Bom... Vi dublado mesmo e simplesmente amei! Filme maravilhoso! História linda e emocionante. Aliás, eu que não sou muito chorona, confesso que chorei. Eu não vou contar muito da história aqui para não perder a graça, só o que eu digo: ele é imperdível. Fala de relacionamentos, amor, família e um pouco de perdão também. E é ótimo!
*
E o que me chamou muita atenção: o filme é baseado numa história de Nicholas Spark. O escritor de Querido John, livro que eu comprei a pouco, já li, e adorei (acho lindo o que o John fez por amor). E, mais importante ainda: ele é o escritor das histórias de dois dos meus filmes preferidos! Um Amor para recordar e Diário de uma paixão. Eu simplesmente amoooo esses dois filmes! Acho ambos lindos, emocionantes, a assim como na Última Música, eles me emocionaram tanto, que também me fizeram chorar.
**
Então... Vou começar a ler alguns livrinhos desse escritor. Baixei um ontem. E depois venho postar aqui os que eu mais gostar.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Julia Quinn - Família Bridgerton VIII - A caminho do alta


Título original: On the Way to the Wedding

Algo cômico aconteceu...
A diferença da maioria dos homens que conhece, Gregory Bridgerton acredita no amor verdadeiro. E está convencido de que quando encontrar à mulher de seus sonhos, saberá em um instante que ela é a única. E isso é exatamente o que ocorreu. Exceto...
Ela não era a única. De fato, a deslumbrante senhorita Hermione Watson está apaixonada por outro. Mas sua amiga, a sempre prática Lucinda Abernathy, quer salvar Hermione de uma desastrosa aliança, assim se oferece para ajudar Gregory a convencê-la. Mas no processo, Lucy se apaixona. Por Gregory! Exceto...
Lucy está comprometida. E seu tio não está disposto a voltar atrás com o enlace, ainda quando Gregory recupera o juízo e se dá conta que é Lucy, com seu agudo engenho e seu risonho olhar quem faz cantar seu coração. E agora, no caminho do casamento, Gregory deve arriscar tudo para assegurar-se que quando chegar o momento de beijar à noiva, ele seja o único homem que esteja de pé no altar.
**
Sabem aquela sensação de "quando tudo acaba, resta um vazio?" É exatamente o que eu estou sentindo agora. Queria mais! Amooo essa família, e com tantos netinhos Bridgerton, bem que a história podia continuar.
*
Como já tinha lido por aí, esse livro fecha a série com chave de outro. É muito bom. Do tipo que a gente fica: "E agora, como vai ser? O que vai acontecer?" o tempo todo. E a gente não consegue simplesmente mais parar de ler. E pensando bem, acho que esse é o menos hot de todos, se não me engano, mas isso não fez a menor falta.
*
Confesso que no início o Gregory meio que me irritou um pouco - mas muito pouco - porque eu ficava me perguntando: "qdo ele vai parar de agir como um idiota por causa desse amor pela Hermione (melhor amiga da Lucy) e vai perceber que a Lucy é a mulher para ele?" E ele demora um pouco para se dar conta... Mas, enfim, quando ele afinal descobre que não sabe viver sem ela, ele compensa toda essa falta inicial. Porque, fala sério, eu nunca tinha visto um personagem tão desesperado antes! As coisas que ele faz... !!!
*
Hmmm... O Gregory é muitooo fofo. Aliás, todos os irmãos Bridgerton são.
*
A Hyacinth faz uma participação hilária, eu ri muito com ela. Ela é uma pestinha, mas só quer ajudar o irmão.
*
E tenho que dizer que, é claro, o Collin teve uma participação especial, se sobressaindo de novo. Não disse que ele é o personagem preferido da escritora? Porque quando o Gregory pede ajuda para um dos irmãos, advinhem quem aparece? E, como não podia faltar, na cena da vigília (que vcs vão entender qdo lerem), qual é a pergunta que o Collin faz: "Por acaso não tem comida por aqui, não é?" (Não com essas palavras, mas algo assim) - KKKKKK - eu amo essa família, e queria tanto que tivesse alguma continuação... - :(
*
E o final... Ah! O finalzinho é maravilhoso. Fofo e engraçadissimo! Na minha opinião, não podia ter acabado de forma melhor.
**
Muito boa a série, todos os livros. Algumas traduções não são das melhores, mas assim mesmo acho que vale a pena.
**
E-book:
http://www.4shared.com/file/143339927/69832b6e/FAMILIA_BRIDGERTON_-_08_-_A_Caminho_do_Casamento__rev_PRT__Julia_Quinn.html

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Depois do fim, o Recomeço.

Quando uma história de amor termina surgem várias indagações. Ou damos oportunidade para que elas apareçam. A minha teoria casa mais com a segunda opção, acho que as dúvidas que “surgem” são apenas indagações que a gente escondeu debaixo do tapete mil e quinhentas vezes, são problemas que a gente racionalizou dando as explicações mais absurdas e acreditando piamente nelas. Acontece.

O ponto é, sabíamos que estávamos infelizes. Sabíamos que as coisas não andavam bem. Mas o apego é tão grande, o medo da mudança é tão intenso, o pavor do monstro chamado solteirice é tão absurdo que continuamos ali, lutando por uma causa perdida.

Mas chega um dia em que realmente acaba, em que o temido fim dá as caras, e muda a tua vida de cabeça pra baixo. Nesse dia passamos a querer enxergar as respostas das temíveis perguntas. E queremos respostas claras. Queremos saber o porquê da infelicidade. Queremos saber o motivo pelo qual deixou de dar certo.

Na busca por respostas corremos o risco de cair na armadilha da culpabilização. Culpamos a nós. Acreditamos que em algum ponto deixamos de fazer alguma coisa, que em algum momento fomos egoístas demais para perceber as necessidades do outro. Num outro extremo podemos culpar o ex. Ele não me merece. Ele não presta. Ele estragou tudo.

Nesse ponto você esquece que um dia amou e passa a odiar. Odeia as lembranças, a simples menção do nome, odeia as notícias sobre, odeia saber inclusive que o fulano ainda existe e não simplesmente virou fumaça, como você gostaria que acontecesse.
Você passa também a estender esse ódio pra todos os seres do mesmo gênero que ele [ou ela] da face da terra. Você não quer saber de relacionamentos nunca mais. No máximo algo casual, sem nenhum envolvimento afetivo da sua parte. Você jura nunca mais se apaixonar, nunca mais acreditar nas promessas e declarações de amor de alguém. Você basicamente odeia. Odeia a si, odeia a todos.

São fases pelas quais você passa. Normal, mas essas fases precisam ser superadas. Se não vira doença.

Num relacionamento, que por muito tempo deu certo, não podemos falar de culpa, mas de responsabilidades. Houve erros, com certeza, e com mais certeza ainda vejo que os erros foram dos dois lados. E agora não é uma forma de racionalizar, mas uma reflexão madura, e dolorida. Odiar é uma forma de se relacionar com a dor. Uma forma de tentar superá-la. Mas isso também passa.

Depois, bem aos poucos, você volta a viver sua vida sem resquícios desse amor que já não é. Você vai levando, vai vivendo, e quando você menos espera se descobre com a ferida cicatrizada. Sem dor. Sem sangue. Sem pus. Apenas a marca, pra você não esquecer do que já viveu. E que foi ruim, por um tempo, mas que também foi muito bom. E já dá pra lembrar nisso com sorrisos e nostalgia, sem lágrimas e sem dor.

E a vida passa a ter outro sentido. O seu. Como pessoa, como sujeito, como mulher. Seus desejos, suas metas, suas vontades, seus sonhos, seu dia-a-dia. É uma fase meio egoísta, mas deliciosa. Você volta a reparar em você. Volta a gostar do que vê no espelho. Volta a se amar. E percebe o quanto aquele amor estava te destruindo, te machucando, e fica realmente feliz por ter acabado. Essa felicidade é só tua. Você não sente a necessidade de contar a ninguém, completamente diferente daquela felicidade que você vê as pessoas apregoarem via internet o tempo todo e que você sabe que não é real, que elas só querem aparentar pra “um certo alguém” e que você tem mais certeza ainda de que eles não vêem, ou se vêem não acreditam.

Mas no seu caso é diferente. Você realmente está feliz. Você descobre que o ódio se foi, e você se pega desejando até a felicidade do outro também. Você se percebe aberta pra novas relações, novas aventuras, novos amores. E a idéia dele com outra já não te desestrutura.

Você conhece novas pessoas, e não faz questão de aprofundar laços com pressa, só pra poder desfilar na cara dele o quanto você está feliz. Pelo contrário. Você quer mais é curtir em silêncio, a dois, aquele novo começo, aquela nova oportunidade de continuar a ser feliz. Porque esse novo é apenas mais um. É um momento bom de se viver, de se curtir. E que vai acabar sem te deixar desestruturada como o outro, porque você não vai perder o foco. Você não tem a intenção de se deixar anular novamente. Felicidade é a sua meta, se alguém quiser se juntar a você nessa caminhada, bem. Se não, sem problemas. A vida continua linda.

Temos que aprender que o amor acaba. Se transforma. Muda de foco. Acontece. Superar é difícil, mas não é impossível. E quando a gente supera, ah, um mundo de possibilidades se descortina... É só saber se jogar...

domingo, 15 de agosto de 2010

Julia Quinn - Família Bridgerton VII - Por um beijo


Título original: It's in His Kiss

Conheça Nosso Herói ...
Gareth St. Clair está num beco sem saída. Seu pai, que o detesta, esta determinado a empobrecer as propriedades St. Clair e arruinar a sua herança.O único legado Gareth é um diário da família, que pode ou não conter os segredos de seu passado .. e a chave para seu futuro. O problema é , esta escrito em italiano, idioma do qual Gareth não conhece uma palavra.

Conheça nossa heroína ...
Todos na ton concorda: não havia ninguém como Hyacinth Bridgerton. Ela é diabolicamente inteligente, diabolicamente sincera, e de acordo com Gareth, provavelmente é melhor em pequenas doses. Mas há algo sobre ela - algo encantador e vexatório - que agarra-o e não deixar ir ...

Conheça o pobre Sr. Mozart ...
Ou não. Mas com certeza, ele está se virando em seu túmulo quando Gareth e Hyacinth cruzar caminhos no encontro anual - e anualmente discordantes - musical Smythe-Smith. Hyacinth adora um desafio, e ela se oferece para traduzir seu diário, apesar de seu italiano ser um pouco menos do que perfeito. Mas quando eles mergulham no texto misterioso, eles descobrem que as respostas que procuram, não encontram-se na agenda, mas um no outro ... e que não há nada tão simples - ou tão complicado - como um beijo perfeito.

**
O que eu posso dizer? Dei boas risadas com as tiradas da Hyacinth. Ela é muito engraçada, curiosa, e divertida. E nada convencional para uma mocinha da época.
*
Um trecho tirado do livro (diálogo do casal):
Isso tampouco sortiu efeito. Ele simplesmente a olhou e disse:
-Não.
Hyacinth voltou a abrir a boca, soltou um suspiro e disse:
-Bom, suponho que se pudesse dominá-lo, não valeria a pena me casar com você. - kkkkkk
*
Outro trecho que me fez rir (outro diálogo do casal):
-Vão pensar que me está cortejando - disse Hyacinth.
-Tolices -disse ele, sentando-se na cadeira desocupada ao lado dela - Todo mundo sabe que não cortejo a mulheres respeitáveis e, além disso, eu diria que isso só melhoraria sua reputação.
-E eu que pensava que a modéstia era uma virtude super valorizada.
Ele a obsequiou com um insípido sorriso.
-Não é que queira lhe dar munições, mas a triste realidade é que a maioria dos homens são ovelhas. Onde vai um, ali vai o resto. E não disse que desejava casar-se?
-Não com alguém que siga a você como à ovelha chefe. - kkkkkkkkk - ela não é o máximo?
**
Livrinho fofo, divertido, e também romântico e hot. Eu recomendo.
**

Julia Quinn - Família Bridgerton VI - O Coração de uma Bridgerton

Título original: When he was wicked


Em toda vida há um ponto decisivo. Um momento tão tremendo, súbito e impressionante, que a pessoa sabe que sua vida jamais será igual. Para Michael Stirling, o libertino mais infame de Londres, esse momento chegou na primeira vez que pôs os olhos em Francesca Bridgerton.
Depois de uma vida de perseguir mulheres, de sorrir astutamente quando elas o perseguiam, de permitir-se ser apanhado mas nunca deixar que seu coração se comprometesse, necessitou somente de um olhar em Francesca Bridgerton e se apaixonou tão rápido e definitivamente que foi um milagre que pudesse permanecer de pé.
Desgraçadamente para Michael, o sobrenome de Francesca seguiria sendo Bridgerton durante só trinta e seis horas mais, já que a ocasião dessa reunião era, infelizmente, um jantar para celebrar suas iminentes bodas com seu primo.
Mas isso foi então e agora Michael é o conde e Francesca é livre, mas ainda ela pensa nele como nada mais que seu estimado amigo e confidente.Michael não se atreve a lhe falar de seu amor até uma perigosa noite, quando ela caminhou inocentemente a seus braços e a paixão se demostrou ser mais forte que o pior dos segredos.
**
Quando li nos livros anteriores que a Francesca ficou viuva após dois anos de casamento, imaginei aquela cena comum de livro de banca: que ela não amava o marido, que era infeliz no casamento, que o sexo era sem prazer... e blá, blá, blá. Porque em geral os livros de banca não permitem que as personagens se apaixonem duas vezes.
*
Mas não foi nada assim. Logo o início a gente vê a relação da Francesca com o John, e eles formavam um casal bem fofo e se amavam bastante. E o Michal, primo dele, estava sempre com os dois. Eles eram meio que um trio inseparáveis, só que o Michael nutria, escondido de todos, um grande amor pela esposa do primo.
*
Um dos pontos altos dessa história: o amor do Michael pela Francesca, eu achei muito bonito. E ele não enfraquece com os anos.
*
Essa história foi de todas a que mais me emocionou, e me fez chorar. E olha que eu não choro tão fácil. Me emocionei no início, com a morte do Jonh, e depois com o drama dela no finalzinho.
**
A relação do Michael e da Francesca começa cheia de culpa, e a Francesca só o vê como o seu melhor amigo, mesmo tendo se passado anos da morte do jonh. Por isso o romance demorar a engrenar, mas quando engrena... Compensa toda a espera! Porque ele é o mais hot de todos. Meu Deus! O Michael é dimanite pura!
**
Outra coisa que eu gostei, ele ocorre no mesmo período de tempo que o livro IV e V. Como vcs vão ver, nos encontros do Michael e do Collin.... Ah! Como sempre, o Collin é decisivo! Por isso eu digo: ele só pode ser o preferido da escritora.
**
Adoro o Michael, e ele definitivamente é um dos meus preferidos, junto com o Collin.
**
Adorei esse livro, e recomendo.

Julia Quinn - Família Bridgerton V - A Sr. Phillips com amor


TÍTULO ORIGINAL: To Sir Philip,with Love


É possível apaixonar-se por alguém a quem não se viu nunca? Eloise e Phillip estão a ponto de descobri-lo. Ela, a pequena da família Bridgerton, vai a casa dele quando, depois de um ano de amizade por carta, recebe sua surpreendente oferta de matrimônio. Eloise está disposta a acabar com seu celibato, mas seu sonhado pretendente não encaixa com a imagem do homem que a espera: não só é rude e introvertido, muito diferente dos cavalheiros londrinos com quem está acostumada, mas sim - algo que esqueceu de mencionar em suas cartas- tem duas crianças de oito anos que, desde a morte de sua mãe, converteram-se em autênticos diabos. Mas Eloise é uma Bridgerton, e não se rende facilmente: não se criou com sete irmãos para deixar-se vencer agora por dois pequenos malcriados. Phillip, por sua parte, somente queria uma esposa e uma mãe para seus filhos, mas a aparição de Eloise lhe promete muito mais: um futuro cheio de paixão e emoções... e o final da vida tranqüila e sossegada que, até recentemente, confundia com a felicidade.
**
Ah, gostei bastante desse. A Eloise é a melhor amiga da Penelope, do livro anterior, e ambas tem 28 anos e são consideradas solteironas. Só que a Eloise não se casou por opção, ela teve seis pedidos recusados de casamento, e já a Penelope não se casou por falta de pretendentes mesmo, e também porque ela sempre teve olhos só para o Collin. Mas a Penelope se deu bem, porque ela pegou o mais fofo dos irmãos, pelo menos na minha opinião.
*
Então... A Eloise já está conformada em ser uma solteirona, acreditando que vai envelhecer junto com a amiga Penelope, mas quando essa se casa, a Eloise meio que entra em crise. E daí resolve viajar sozinha, e escondida da família, para avaliar a possibilidade de se casar com um homem que só conhece por carta. Eles se correspondem há um ano.
*
Gostei muito dessa história. O Phillip é um personagem sofrido, e acho bonito ele encontrando o amor. Adoro personagens que mudam, se tornam mais leves, mais agradáveis, por causa do amor.
**
Ponto alto dessa história, na minha opinião: quando os irmãos aparecem para buscar a Eloise, e estão furiosos. Quero dizer, menos o fofo do Collin, ele não parece estar muto furioso, e só está pensando em comer, como sempre. Eu ri muitoooo com essa cena! E estou rindo de novo só de me lembrar. Ah! Adoro essa família!
**
Como todos os livros da Família Bridgerton, esse é imperdível. E também gosto dos pestinhas gêmeos filhos do Phillip.

*

E-book:

http://www.4shared.com/file/141674848/6e1c05c9/J_Q_-_Familia_Bridgerton_-_05_-_A_Sir_Phillip_com_Amor__rev_PRT_.html

Julia Quinn - Família Bridgerton IV - Seduzindo a Mr. Bridgerton


Título original: Romancing Mr. Bridgerton

Durante toda a vida, Penelope Featherington foi uma presença quase invisível a que todos conhecem, mas ninguém põe atenção. Foi a todos os bailes da aristocracia de Londres, cada vez mais acostumada ao papel de moça calada, a quem ninguém tira para dançar a não ser pela insistência de alguma piedosa dama. Em seus vinte e oito anos, resignara-se a ser uma solteirona destinada a passar os dias cuidando de sua mãe. Mas de repente, um bom dia, começa a descobrir a força que pulsa em seu interior. Uma força que surpreende a todos, especialmente a Colin Bridgerton, o solteiro mais cobiçado da cidade, que durante toda sua vida considerou Penelope como uma irmã pequena. Mas como sempre acontece, quando se desata uma força longo tempo adormecida as consequências podem ser imprevisíveis.
***
Não vou dizer que eu não gostei desse, porque eu gostei. É só que eu esperava mais dele....
*
Acredito que o Collin é o preferido da autora, porque ele meio que aparece de forma importante em vários livros. Por exemplo, é ele quem apresenta o Anthony para a Kate no livro II, meio que se divertindo por isso, porque sabe que a Kate não gosta do seu irmão. E é ele quem dá o conselho definitivo para o Michael, no livro VI. E o conselho também importante para o Benedict, no livro III.
*
O Collin é debochado e brincalhão. E... ele come demais! Acho muito engraçado as cenas dele comendo, em vários livros! E ele tem lindos olhos verdes. Então... eu comecei a ler esse livro esperando que esse fosse ser o meu preferido, porque eu adorava o Collin, só que não foi.
*
Ele é meio lento no início, mas depois deslancha. E fica fofo e bonitinho, só que... Sei lá, eu gostei mais dos outros, mas acho que isso é porque cheguei com muita expectativa para ler esse.
*
Agora.... aquela mãe da Penelope, que vontade de matar! Mas a gente da umas boas risadas com o que ela faz.
*
A Penelope também é uma personagem que eu gosto. Ela é considerada a feia do baile, uma solteirana aos 28 anos, praticamente invisível e calada. Mas eis que ela vai revelando sua personalidade e encantando o Collin. E eu gosto disso, da mocinha não ser nenhuma beldade.
*
O que é fofo nesse livro: ela sempre foi apaixonada por ele, desde novinha. Mas já está desiludida, sem nenhuma esperança. E eu adorei a reação dela quando o Collin a pede em casamento! - kkkkkk
*
Outra coisa boa desse livro: a identidade da Lady Whistendown é finalmente revelada. E eu confesso que para mim foi uma surpresa, mas eu gostei. Só que depois eu meio que senti falta dela, de seus comentários no ínicio dos capítulos.
*
A história é fofa também, e eu recomendo.
*
E-book:
http://www.4shared.com/file/140829331/f223f922/J_Q_-__FAMILIA_BRIDGERTON__-_04_-_Seduzindo_a_Mr_Bridgerton__rev_PRT_.html

sábado, 14 de agosto de 2010

Sessão Colírio

Gente, o que é isso? Vejam o que faz uma simples mudança de cabelo.

Ele passou de carinha de bebê para cara de homem! E eu que num gostei de homem de barba e bigode... estou babando por ele! Ai, ai, ai!
Sei que ele é muito novo para mim, e eu não vejo novelas, mas estou muito apaixonada pelo Edgar Sampaio (Caio Castro) da novela Ti-ti-ti. E assisto seus vídeos no site da globo. com
E olhem só essas fotos ai de baixo, vai dizer que ele não é simplesmente um arraso?
Ah... a próxima história que eu escrever, farei um personagem pensando nele! - :D

Só mais um comentário: GATO, GATO, GATO, GATO!!!

Desculpa se te chamo de Amor - Frederico Moccia



"Niki é uma bela garota, é divertida, é inteligente. Tem 17 anos. Alex é um "garoto" de quase 37. Separou-se há pouco, e sem uma razão clara, de sua noiva. Publicitário com grandes responsabilidades vê-se em crise no trabalho. Os dois se cruzam casualmente num pequeno acidente de trânsito. Niki gosta de Alex, Alex acha Niki divertida. A relação fica cada vez mais intensa. Não querem deixar a diferença de idade atrapalhar... O mundo dos adolescentes se choca com o dos adultos. Mas a vida dos dois nunca mais será a mesma. Este romance é a vontade de reencontrar a própria liberdade, a vontade de ter sentimentos verdadeiros, de amar sem convenções e sem muitos porquês. É o cotidiano, mas também o sonho."

Eu ganhei o filme primeiro, de uma amiga do orkut. Não rodou no meu DVD e ficou por isso mesmo. Quase nove meses depois, [dava tempo uma criança ser gerada e nascer!] eu
achei o livro "bolando" aqui por casa. Peguei, adotei e li até o final quase sem conseguir largar. Nem vou comentar o quanto me identifiquei.
A obra é cheia de frases de efeito e citações maravilhosas, entre elas a minha predileta: "O amor mais bonito é uma conta errada, uma exceção que confirma a regra, aquela coisa para a qual você havia utilizado a palavra nunca."

Muito bom. Recomendo mesmo. E depois, se você quiser ainda dá pra assistir o filme!! Eu consegui ver em outro DVD, muito bom também, mas quem me conhece sabe, prefiro mil vezes saborear as palavras do que ver as imagens.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Julia Quinn - Família Bridgerton III - Te dou meu coração


TÍTULO ORIGINAL: An Offer from a Gentleman

Como uma nova Cinderela, Sophie consegue escapar de sua malvada madrasta para ir ao baile de máscaras. Conhece benedict e ambos se apaixonam. Mas à meia-noite foge sem deixar rastros para Benedict, que passa a procurá-la. Algum tempo depois voltam a se encontrar e ele se
apaixona novamente por ela sem reconhecê-la pois agora não passa de uma simples empregada. E muitas peripécias acontecem antes que possam unir-se e desvelarem seus segredos.
***
Confesso que nas primeiras páginas o livro não me atraiu. Achei meio chata essa história já manjada de cinderela, mas depois... Ah! É muito fofo!
*
Essa história, diferente das outras, tem alguma coisa de amor a primeira vista e de magia. O Benedict é meio sensitivo e sente algo como uma formigamente no corpo quando alguma coisa importante vai acontecer. O que acontece em dois momento com a Sophie. Ah! Eu, como uma romantica incurável, acho isso muitooooo fofo.
*
E ele consegue se apaixonar duas vezes por ela. Não a reconhece do baile, mas mesmo assim, se apaixona de novo por ela. O Benedict fica totalmente de quatro pela Sophie, mesmo tendo a barreira da classe social entre eles, porque ela é uma criada, e naquela época "cavalheiros" não se casavam com criadas. Mas ela, como filha ilegitima de um conde, tendo sofrido muito por isso, se nega a ser amante dele e ter filhos ilegítimos. E é tão bonitinho ver o sofrimento dele, o conflito. Porque ele é louco por ela, mas não pode se casar com uma criada. Ah! Muito fofooo!
**
E eu adoro que os romaces da Julia Quinn não são previsiveis, porque eu nunca tinha pensado que ele descobriria que a Sophie era a tão procurada mulher de vestido prateado, do jeito que ele descobriu.
**
Só o que eu não gostei do livro foi a madastra má. Odeio pessoas ruins, mas no final tudo deu certo.
**
Frase que me marcou:
- Posso viver com seu ódio, - disse à porta cerrada - mas não posso viver sem você.
Ahhhhhhhhhh! Achei tão lindoooooooo!
***
Fofo, fofo e fofo. E totalmente recomendado por mim. Ah! E eu também adoro a dose de humor dessas histórias, e as cenas hots.
**

Julia Quinn - Família Bridgerton II - O visconde que eu amo


Título original: The Viscount Who Loved Me


A temporada começou este ano de 1814 sem que existam razões para confiar em que vamos ver alguma mudança destacável como a de 1813. Como sempre, os atos de sociedade continuam cheios de mamães ambiciosas cujo único objetivo é ver suas preciosas filhas casadas com solteiros convenientes. As deliberações entre as mamães indicam o visconde do Bridgerton como seu partido mais cotizado para este ano e, de fato, se o pobre homem parece despenteado e seu cabelo alvoroçado pelo vento se deve a que não pode ir a nenhum lugar sem que alguma jovem senhorita sacuda suas pestanas com tal vigor e celeridade que provoca uma brisa de força impetuosa. Talvez a única jovem dama que não mostrou interesse pelo Bridgerton seja a senhorita Katharine Sheffield; sua atitude para com o visconde às vezes roça a hostilidade.
E este é o motivo, querido leitor de que esta autora ache que um emparelhamento entre o Bridgerton e a senhorita Sheffield seria precisamente o que animaria uma temporada de outro modo vulgar.
***
Honestamente: se me perguntarem qual é a minha história preferida, qual dos irmãos é o meu preferido, eu não sei. Adoro a participação do Collin nas três histórias antes da dele, que é a quarta, mas também me apaixonei totalmente pelo Anthony e pelo Benedict. E essa é a história do Anthony.
*
Ele tem 30 anos e resolve se casar, então pergunta para seus irmãos quem é a grande sensação da temporada, pois está decidido a se casar com ela. Ele não quer um casamento por amor, pois desde os dezoito anos, quando seu pai morreu, ele se convenceu que também morreria cedo. Mas é lógico que ele, assim como ninguém, não consegue controlar seu coração....
*
Ah! A "sensação" da temporada é a irmão da Kate, a mocinha em questão. Só que a Kate não é bonita como a irmã (adoro isso da maioria das personagens da Julia Quinn não serem deslubrantes, se tornando mais humanas), ela não tem NENHUM pretendente, e pode ser considerada como a Penelope (a mocinha do livrinho IV) a feia do baile. Aquelas que tomam um chá de cadeira enquanto os outros se divertem dançando. E o que faz eu admirá-la ainda mais é que ela não tem a menor inveja da irmã. Algo que certamente não aconteceria com a maioria das mulheres no lugar dela.
*
Mas eis que para cortejar a irmã da Kate, Anthony passa muito tempo com a prória Kate, e vai descobrindo uma beleza nela que só ele vê. Não é fofo? O melhor partido se interessar por alguém que não é nenhuma beldade? Acho ótimo! Ainda resta esperanças para as reles mortais!
*
Uma das minhas cenas preferidas: a cena da abelha. Amei ver o desespero do Anthony quando a Kate é picada por uma abelha, antes deles ficarem juntos. O pai delemorreu depois de uma picada de abelha. E eu achei essa cena muitoooo fofa! E criativa, porque depois de ter lido tantos livros de banca, todos eles parecem iguais.
*
Ao longo dos livros a gente vê que o Anthony assumiu o posto de chefe da família após a morte do seu pai, e ele é meio controlador e mandão (principalmente com suas irmãs). Algo que eu adoroooo!
**
Então... mais do que recomendo essa história. E é lógico que ela também tem cenas hots.
**
E-book:
http://www.4shared.com/file/139047121/f42d5039/_FAMILIA_BRIDGERTON__-_02_-_O_Visconde_Que_Amo__Anthony_e_Kate__rev_PRT.html

Julia Quinn - Família Bridgerton I - O Duque e Eu


TÍTULO ORIGINAL: The Duke and I
Dica tirada do blog Lilith

Todos pareciam divertir-se naquele baile que reunia o mais seleto da sociedade londrina. Todos, exceto eles dois.
Daphne, uma formosa jovem perturbada por uma mãe obcecada para lhe encontrar um marido quanto antes, e Simon Basset, o novo duque do Hastings, que não quer saber nada da vida social de Londres nem dos esforços das elegantes damas de "caçá-lo" com uma de suas filhas.
Ao conhecerem-se, ocorreu-lhes o plano perfeito: um compromisso fictício que mantenha afastadas às pretendentes do duque e tranqüila à mãe do Daphne. Mas não seria simples, já que o irmão do Daphne, amigo do Simon, não é fácil de enganar, nem tampouco o são as experientes damas da alta sociedade. Embora o que complicará de verdade as coisas será a aparição de um elemento que não estava previsto neste jogo de dois lados: o amor.
***
Gente, estou completamente viciada nas histórias dos irmãos Bridgerton. Não tenho vindo muito aqui no blog ultimamente, pois estou com pouco tempo livre, e usando todo o meu tempo livre para ler. São 8 irmãos, e 8 histórias, uma mais maravilhosa que a outra. Eu, particularmente, adoro famílias unidas, que se dão bem, como é essa família. E os irmãos quando se juntam rendem cenas bem engraçadas.
*
Acabei ontem o quinto livre, de oito, e simplesmente não vejo a hora de continuar. É uma leitora gostosa, com grande dose de humor, e com passagens hots. E, pelo menos os que eu li até agora, são histórias diferentes uma da outra.
*
Irmãos: A- Antony, B-Benedict, C-Collin, D- Daphe, E-Eloise, F- Francesca, G-Gregory e H-Hyacinth.
*
Bom, vamos falar agora da primeira história, que é a da Daphne e o Simon. Ah! A gente tem uma peninha do Simon, pelo modo como o pai dele o tratava... Ele é bem traumatizado, e por isso se recusa a casar e continuar a linhagem do seu nome, para se vingar do pai morto. Só que no meio do caminho ele se apaixona pela Daphne, e todos os seus conceitos acabam caindo por terra. Eu acho muito fofo o Simon, e o jeito como ele vai superando seus traumas. A história é fofa e apaixonante.
*
Aqui a gente já conhece a lady Whistledown, que eu acho um dos pontos altos da história. Ela escreve num jornal e aparece até o livro quatro, onde sua identidade finalmente é revelada.
Estou totalmente apaixonada por essa família, e recomendo a leitura de todos os que eu li por enquanto. Começando por esse. A medida que der tempo, vou postando os outros.
*
E-book:

http://www.4shared.com/file/120988639/50c161d/Julia_Quinn_-__FAMILIA_BRIDGERTON__-_01_-_O_Duque_e_Eu__rev_PRT_.html

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Rapidinhas

Estava eu sentada na minha sala dizendo pra copeira o que eu queria lanchar naquela manhã, quando chega um indivíduo e vê a porta da sala aberta como um convite pra entrar e sentar.

Respiro fundo e tento não ser grosseira quando ele tenta me vender um consórcio MARAVILHOSO, onde eu só pago as prestações de uma moto até o mês em que eu for sorteada, depois não preciso pagar nenhum centavo. Faço minha melhor cara de Madre Teresa e recebo o folheto, mas fico calada e não comento nada sobre os preços. [Detalhe: Se eu for a última sorteada eu terei pago uma moto e meia].

Cansada de repetir: "Eu não sei pilotar motos"; "Eu não preciso de moto" e "Eu prefiro bicicleta à moto" e o chato insistente continuar lá eu simplesmente baixei a cabeça e continuei a ler o material que me embasaria para uma palestra naquela semana e ignorei o "cabra".

- A escola está de férias, né? Por isso tem pouca gente aqui? – ele inventa de perguntar.

- Isso é um CRAS, não uma escola. – respondo com o máximo de educação que consigo.

- E você é a secretária? – ele ousa fazer outra pergunta idiota. Das duas uma: Ou ele não sabe ler ou se encantou com a minha beleza e não viu a placa na porta com o nome PSICÓLOGA bem grande.

- Ela é a psicóloga! – responde a copeira mais ofendida do que eu. Acho graça e acabo sorrindo. Ele solta mais uma(!) pérola.

- Ah, então já está lendo todo o meu comportamento aqui.

Eu DETESTO isso! Primeiro, até onde eu sei se lê frases, comportamento se observa. Segundo, eu não passei cinco anos e MEIO na faculdade pra analisar ninguém de graça, poha!

- Até o momento que o senhor entrou eu estava trabalhando. – me seguro muuuuito para não ser grossa.

Depois ele se despediu mil vezes e apertou a minha mão outras 500 e finalmente foi encher o saco de outro.

...

Mais ou menos uma hora se passa e o tal entra na minha sala novamente. Me pergunto se eu não fui suficientemente não receptiva, mas antes de conseguir pensar sobre isso ele senta [de novo sem convite] e começa com um papinho bobo:

- Como você tá diferente! – Faço uma cara de: “Eu não acredito que você está aqui de novo!” – Ah, já sei, é o óculos! Você estava sem óculos antes.

Permaneço calada. Talvez assim ele se manque, dessa vez. Baixo a cabeça e volto a ler minha apostila, quando ele gagueja levemente enquanto pergunta:

- Seria muita ousadia se eu pedisse seu telefone?

Definitivamente, eu mereço!

- Seria, moço. Seria ousadia demais. – respondo, dessa vez sem pensar.

- Então tudo bem. – ele levanta com um sorriso amarelo – No final do mês eu passo aqui de novo. (como se no final do mês essa AFRONTA deixasse de ser ousadia).

**

Encontro sem querer a avó do meu ex na farmácia.

- E cadê o fulano?

- Sei dele não, vó. – tento ser carinhosa – Terminamos.

- Mas por quê?

- Eu quero é um homem rico! – tento ser engraçada.

- Mas minha filha, o dinheiro não é tudo! Tem o amor! O dinheiro é só cinqüenta por cento!

Ah tah. Agora eu aprendi!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Se é pra sofrer que seja com dignidade!

Como vocês devem saber, ou não, estou com o coração partido.

Amor não correspondido? Não. Sim. Talvez. E se fosse talvez nem doesse tanto.

O que dói mesmo são os sonhos que viraram pó. Os planos que sumiram do mapa. A idéia de futuro que não existe mais.

Eu podia estar dando pra qualquer um ou beijando qualquer boca pra esquecer.
Eu podia estar de festa em festa postando fotos de balada no meu perfil do orkut.
Eu podia ligar praquele "amigo" que sempre quis uma chance pra aplacar esse vazio estranho.

Mas eu estou sofrendo com dignidade. Ouvindo "Olhos nos Olhos", "Folhetim", "O meu amor", "Não Sonho mais", "Apesar de você", e outros clássicos do Chico, que traduzem em sons e versos a minha estranha dor.

Estou cavando até o fundo o poço. Sofrendo o que tenho de sofrer. Um dia serei mais forte. Um dia acharei graça disso tudo. Um dia vai passar. E é bom que esse dia chegue logo!

Enquanto isso estudo. Escrevo a estória mais fria, cruel e sem amor que eu já escrevi. Faço bolos. Caminho. Trabalho. Escuto meu amor, Chico Buarque. Leio Gabito e Carpinejar. Fujo dos romances.

Acontece.

Vale a pena: http://www.youtube.com/watch?v=tNe3HqZiyyw

domingo, 18 de julho de 2010

Dicas de filme - Casa Comigo?

Sinopse:
Uma mulher (Amy Adams) viaja para Dublin para pedir o namorado em casamento, no dia 29 de fevereiro de um ano bissexto, como manda a tradição irlandesa. Nesta data, segundo o costume local, o homem é obrigado a aceitar o pedido de casamento. Mas, quando o tempo mau arruína sua viagem, ela precisa da ajuda de um grosseiro dono de hospedaria para iniciar uma inesperada travessia no país e fazer o pedido perfeito.

*
FICHA TÉCNICA
Diretor: Anand Tucker
Elenco: Amy Adams, Matthew Goode, Adam Scott, John Lithgow, Noel O'Donovan, Tony Rohr, Pat Laffan, Alan Devlin, Ian McElhinney, Dominique McElligott.
Produção: Gary Barber, Chris Bender, Roger Birnbaum, Jonathan Glickman, Jake Weiner
Roteiro: Deborah Kaplan, Harry Elfont
Fotografia: Newton Thomas Sigel
Trilha Sonora: Randy Edelman
Duração: 97 min.
Ano: 2010
País: EUA/ Irlanda
Gênero: Comédia Romântica
Cor: Colorido
Distribuidora: Universal Pictures
Estúdio: Universal Pictures / Spyglass Entertainment / Birnbaum/Barber / BenderSpink / Octagon Films

***

Geralmente não venho muito aqui no blog para falar de filmes, mas resolvi vir falar desse por alguns motivos. Primeiro: nunca tinha ouvido falar desse filme até me deparar com ele. Segundo: procurei nos sites em que sempre vou (adoro cinema e pipoca) em busca de informações sobre o filme e ainda fiquei com dúvidas se eu gostaria ou não dele. Num desses sites o filme nem constava, e no outro falava muito pouco dele. Mas, para falar a verdade, eu admito que nunca levo muito em consideração o que os criticos de cinema dizem, porque eu definitivamente não gosto dos mesmos tipos de filmes que eles. Nem de livros. Então eu resolvi arriscar e assistir o filme, até porque sou super fã da Amy Adams e sabia que dificilmente me decepcionaria com um filme dela.

Gente.... se forem procurar comentários por ai, feitos por críticos, certamente vão ouvir falar que é mais uma comédia água com açucar, com nenhuma grande novidade. Mas, sinceramente? Eu ameiiiii! Ele é engraçado, mas não aquele engraçado idiota, e sim um engraçado gostoso. E o mocinho... Ele é meio mal humorado, resmungão (o que eu adoro), mas embaixo daquela carranca habita um homem gentil e do tipo protetor e cavalheiro (acho que ele lembra um pouco o Darcy de O&P, tirando o fato que ele não é rico). E ele é muitoooo fofo! E eu amooo homens com sotaque britânico, ou nesse caso irlândes que para mim é meio parecido com o britânico. E além disso, eu achei o cenário, a Irlanda, maravilhoso.

Ah! Em resumo, o filme é fofo! É leve, divertido, gostoso e romântico! Não é nenhuma grande novidade, mas para quem gosta do gênero, ele é perfeito. E eu recomendo!

***
Ficha técnica rápida do gatinho:
Matthew Goode (Exeter, Inglaterra, 3 de abril de 1978) é um ator britânico.